sexta-feira, 26 de abril de 2013

Por que ignoramos?

Ignoramos porque crescemos, porque aprendemos que não é necessário convencer ninguém das nossas convicções.
Somos apáticos a certas discussões não por sermos fracos, todavia, porque aprendemos que não alteraremos opiniões alheias.
Aprendemos  a sermos indiferentes até mesmo quando somos agredidos, pois compreendemos o outro como alguém que precisa de ajuda e sabemos que talvez nós não seremos o norte para esse alguém.
As pessoas que evoluem jamais são repetitivas na agressão, geralmente a boca fala do que o coração está cheio.
Tenho amigos a conhecer, quero novos sabores, crescimento humano e profissional. Estou sob uma redoma de amor, cuidado, carinho, sinto-me amado, seguro e feliz. Então minha oferta não pode ser diferente!
Denilson D. Monteiro  26/04/13





terça-feira, 23 de abril de 2013

Para Ser Feliz e Vencedor!

Aprenda a ser feliz, compartilhar sua felicidade com quem você tem certeza de que realmente será uma partilha.
Não se importe em provar nada a ninguém, apenas caminhe. Nunca dependa de aplausos para ser realizado, desenvolva o seu potencial profissional, porém, nunca se esqueça de que o potencial emocional deve andar junto para a plenitude do sucesso.
Não perca tempo questionando os que saíram de sua vida, os que enfraqueceram sua confiança, observe os que estão entrando, pois sabe que agora tem maturidade para selecionar a excelência, já que dantes considerava a quantidade.
Não se importar é um jocoso ofício, menosprezar a suposta astúcia de quem pensa lhe enganar.
Sucesso é embasado no enfrentamento dos ventos não favoráveis; se constrói com resiliência, só são aclamados heróis aqueles que resistiram. Por isso, esquive-se de perdedores, associe-se aos bons, aos que já venceram: o espelho só reflete onde você o posicionar! 

Denilson D. Monteiro 23 /04 /13

segunda-feira, 22 de abril de 2013

domingo, 14 de abril de 2013

Meu Saudosismo!



-" Os homens? Eu creio que existem seis ou sete. Vi-os faz muito tempo. Mas não se pode nunca saber onde se encontram. O vento os leva. Eles não têm raízes. Eles não gostam das raízes."
( O Pequeno Príncipe- Antoine Saint- Exupéry)

Sempre fui muito saudosista, mas nestes últimos dias tenho sonhado, acordado com estranhas lembranças da adolescência.
Lembranças que dominam minha memória: músicas, lugares, amigos que estavam sempre comigo mais ou menos dezesseis anos atrás. Não sei se meu inconsciente traz à tona devido ser este o mês em que faço aniversário.
Tenho buscado amigos que se foram, tenho buscado meu “eu” dessa época, não me reconheço como antes. Também pudera, dei oportunidade ao progresso emocional, em alguns momentos fui obrigado, devido as circunstâncias, ao amadurecimento .
Já sei conviver com muitas perdas, já aprendi a lidar melhor com o desprendimento, aprendi viver com a bonança e à mingua.
Nas lembranças tenho passeado no passado, transitado por ruas, pela casa antiga, tenho convivido constantemente com os amigos, sobretudo, com a pureza dessa época adolescente. Revivo sensações das primeiras paixões, da crença naquilo que hoje desiludi.
Tenho visto nessas minhas reminiscências os amigos, nossas brincadeiras despreocupadas, mas minha mente me traz repentinamente ao presente. Percebo o quanto estão longe, talvez já nem se importam das mesma forma que eu, porque para mim é significativo preservar, manter as origens.
Os homens realmente não fazem caso dos vínculos, nem todos os levam em consideração. Não os posso julgar insensíveis porque as responsabilidades adultas nos imputam sofreguidão.  
Por isso, às vezes,  sofro com as lembranças, essas raízes fazem parte da minha vida  e não  desejo perdê-las, posto que minhas histórias  contribuem positivamente para minha atual essência.
14/04/13

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Liberdade de expressão ou de agressão ? Contra resposta ou ataque pessoal?


Quando era criança, morava em uma chácara, em uma casinha simples, janelas de tábua, 2 quartos, uma cozinha pequena que, na lateral, tinha um fogão à lenha. Minha mãe o acendia todos os dias e quando acumulava a cinza, cuidadosamente ela a removia , pois a cinza acumulada impedia que o fogão fosse reacendido.
O tempo passou, mudei, cresci, mas ainda percebo que todas as tardes as cinzas precisam ser removidas. Tenho observado constantemente cinzas, não no sentido literal, todavia,  cinzas de hipocrisia, maldade, agressão, presunção, desrespeito, interesse pessoal.
No cenário político, temos visto a efervescência  contra um homem, mas quem é ele, por que “todos”, inclusive a mídia, de maneira agressiva vem o combatendo ? Como disse em um post anterior não merecia atenção, e presumo, até mesmo maior, por se tratar da “Comissão de Constituição e Justiça da Câmara” , ou seja, no sentido lato (direitos igualitários à população brasileira, inclusive, às minorias) a representatividade por dois recém-condenados mensaleiros José Genoino e João Paulo Cunha ?
Uma ressalva, concordo plenamente que casais gays tenham assegurados direitos, como pensão e herança, dentre outros,  concordo que as pluralidades devem ser  respeitadas. Contudo, DISCORDO que as posições divergentes não tenham direito de opinar, sejam  essas de parlamentares ou não! Para  isso existe o voto, a bancada que defenderá os direitos, vetarão ou não projetos, queiram ou não, de acordo com seus ideais. Ideais esses que nascem de um grupo dos mais variados campos de conhecimento, inclusive de agnósticos, ateus e religiosos!
Tenho acompanhado as divulgações nas redes sociais, posso afirmar que A MAIORIA dessas divulgações tentando achar erro no Feliciano, e com certeza acharão (parto do princípio da imperfeição humana). Esses divulgadores de opiniões não são exatamente os mesmos que dizem reivindicar  TOLERÂNCIA, RESPEITO E COMPREENSÃO, IGUALDADE ?
Não somos perfeitos, Marco Feliciano também não é, Jean Wyllys do mesmo modo,  não é (Por sinal, no BBB, mostrou que sabe “jogar muito bem”)!
Somos humanos, quem nunca mentiu ? Quem nunca fez um comentário infeliz e depois se recobrou ?  Qual líder, religioso ou não, que é infalível ?  Quem nunca conscientemente ou inconscientemente suprimiu a aparência ? João Batista, certamente nos chamaria de raça de víboras e Cristo ainda nos diz: atirem a primeira pedra!
E por se falar em Cristo, vocês já observaram como estão atacando  severamente a fé cristã ?
Exprimem ideais de negação, especialmente aos evangélicos, taxando-os de estúpidos, sem instrução. São “verdadeiros peritos” da propriedade intelectual.

Sabe-se que o intelectual age por ação reflexiva, se embasam na autoridade científica, não impõe, expõe!
...mandar prender não é democrático, mas a anarquia é!
Que grupo “democrático-ditatorial” é esse que quando são contrariados adquirem posturas controversas, piores daquelas que condenam? Que beijam para contrariar e banalizar, utilizando de um ato que julgam tão afetuoso e bonito, independente da orientação sexual? Sobem na mesa da Câmara em forma de protesto? Concluo, com essa postura, que mandar prender, não é democrático, mas a anarquia é! Misteriosa contradição...
Tenho visto na internet uma camarilha, cujas  “defesas” giram em torno de ataque pessoal, ironias desenxabidas, palavras depreciativas ao extremo! Já li até um post no facebook em que o autor dizia que a mãe de Feliciano devia o ter abortado, enfim, posturas e declarações com conteúdos excessivamente piores do que o acusam!
Recentemente li uma frase depreciativa desses “defensores da tolerância” que: só quem  tem “mente de ovelha”, pode seguir a “um pastor”. Não sou seguidor de um pastor, de um padre, de um rabino, como bilhões de cristãos não são! Mas, cá pra nós, se tratando da simbologia da ovelha, que “bunitinhu” (rs), mansa, calma. Já a do bode, altivo, excitador de rebelião, de tal maneira que só ele consegue!
Estes  bodes cibernéticos, pregam JUSTIÇA,DIREITOS IGUAIS, VERDADE, FONTES FIÉIS e o diabo a quatro, PORÉM postam, divulgam qualquer bodega de informação. Ainda mais, acham que pelo grito, pela rebelião, se constrói democracia, liberdade estranha que oprime!
Meu querido leitor, apenas duas coisas são necessárias: o bom-senso e o pensamento em ação, para tirar suas próprias conclusões e remover as cinzas da CRUELDADE. Por fim, retomo ao coletivo da grei, embora esteja longe de ser um carneiro, prefiro ovelha a bode!
Denilson David Monteiro 05 /04 /13